Brasília vôlei é dominado pelo Osasco e acaba eliminado da Superliga

 

Não foi dessa vez que o Brasília Vôlei fez a sua melhor campanha na história da Superliga feminina. Depois de ficar duas vezes nas quartas de final, a vaga valia também um lugar na história do recente time de vôlei da capital. Mas o sonho ficou pelo caminho de maneira acachapante.  

 

Após perder o primeiro jogo dos playoffs fora de casa, o Brasília Vôlei perdeu a segunda partida da série das quartas de finais no ginásio do SESI, em Taguatinga, e está fora da Superliga feminina 2015/2016. O Osasco não tomou conhecimento e atropelou o time da capital por 3 sets a zero, parciais de 25x18, 25x18 e 25 x 14.

 

A jogadora do Osasco e da Seleção Brasileira, Thaísa, foi eleita a melhor jogadora em quadra e recebeu o troféu Viva Vôlei. Ela atuou bem desde o primeiro set, virando bolas nos momentos decisivos e não deixando o Brasília Vôlei reagir, já que o time paulista esteve na frente praticamente o tempo inteiro.  

 

A cubana Carcaces, que foi a carrasca do time da capital no primeiro jogo da série, também teve importante participação na vitória do Osasco. No segundo set, nem a entrada da vibrante Domingas, que marcou 10 pontos no jogo, conseguiu fazer o Brasília crescer na partida. Além das bolas de Carcaces, os erros cometidos pelo time da casa foram fundamentais para a derrota no segundo set.

 

No decisivo set o Brasília até saiu na frente. Reanimou os já descrentes torcedores e manteve o equilíbrio do placar até a metade da parcial. Isso até Carcaces e Thaísa pesarem a mão para o lado paulista. Depois de abrir 18 a 10, o Osasco só administrou o set até fechar em 25x14. Ao final da partida já era possível ouvir gritos de “Osasco, Osasco” da própria torcida do Brasília.

 

Adenizia, jogadora do Osasco, falou sobre a partida. “Jogar contra o Brasília é sempre difícil, pois elas tem jogadoras experientes. O Brasília jogou bem e está de parabéns. Nosso time teve foco do início ao fim. Agora a nossa concentração é para as semifinais que será muito difícil”, declarou.

 

O técnico do Brasília, Manu Arnout, falou sobre o “azar” de pegar uma equipe da grandeza do Osasco logo na primeira fase dos playoffs. “A diferença de nível é muito grande. Pra ano que vem fica a questão: será que vale a pena perder um jogo na classificação para pegar um adversário mais fraco? Sabíamos que tínhamos condição de ir melhor, nem um set vencemos”, lamentou Manu.

 

Levantadora campeã olímpica e do Brasília Vôlei, Sassá vê o saldo positivo da temporada que se encerrou hoje. “A gente sabia que seria difícil, pelo potencial do Osasco. A nossa equipe teve mérito ao longo da Superliga. Colocamos o objetivo de classificar em 4° ou 5° colocados na primeira fase e conseguimos cumprir o que muita gente não esperava. Saímos com a cabeça erguida e agradeço à torcida, que nos acompanhou durante toda a competição”.

 

 

O adversário do Nestlé Vôlei/Osasco nas semifinais será o vencedor entre o Rexona-Ades (RJ) x Pinheiros/Klar (SP). As cariocas venceram o primeiro jogo por 3x0 e decidem amanhã (15) a vaga para a próxima fase jogando em casa.

 

A melhor em quadra, Thaisa, já projeta uma semifinal contra as cariocas, favoritas à vaga. “Cada jogo é diferente. Estudamos e nos preparamos para esse jogo e vamos estudar para o próximo jogo também. Vamos melhorar nossos defeitos, pois é que tem feito a diferença contra o Rio de Janeiro”. 

 

Please reload

Posts Em Destaque

I'm busy working on my blog posts. Watch this space!

Please reload

Posts Recentes
Please reload

Arquivo
Please reload

Procurar por tags