Brasília sofre apagão no último quarto e perde para o Rio Claro em casa


Depois de bater o rival Flamengo na última rodada e somar três vitórias seguidas, o Brasília Uniceub/BRB veio com moral para enfrentar o Rio Claro Basquete em casa. A novidade do time foi o retorno do Ala Arthur, que se recuperou de uma lesão na cabeça e voltou às quadras. Mesmo no feriado, o público marcou presença no ginásio da Asceb nesta sexta (25) para ver o Uniceub perder para o Rio Claro por 68x66 nos segundos finais.

O Brasília começou o jogo com Pilar, Ronald, Deryk, Fúlvio e o capitão Guilherme Giovannoni. Já os titulares do Rio Claro, que vinham de duas derrotas consecutivas, foram Tatu, Dedé, Gui Deodato, Teichmann e Daniel Alemão.

O jogo começou muito equilibrado no placar, mas também nos erros ofensivos. Enquanto o time da casa amassava o aro, o ataque dos visitantes errava muitos passes. Frequentemente o Brasília trabalhou a bola gastando os 24 segundos. A vantagem foi aberta só no final do quarto, terminando 19x12. Deryk converteu as duas tentativas de 3 pontos do período.

No segundo quarto o time de lobos deslanchou e já no começo converteu cinco pontos seguidos, abrindo 12 pontos de vantagem. Com grande atuação de Ronald, que fez 10 pontos no primeiro tempo, o jogo foi para o intervalo com o placar de 37x25. Os números foram equilibrados, com exceção do número de roubadas, que foram 10 por parte do time do Brasília e apenas três do Rio Claro.

O primeiro ponto do Brasília após o intervalo só foi sair depois de quase três minutos, quando Ronald cravou após passe de costas de Fúlvio. Comandado por Gui Deodato, o Rio claro voltou melhor e diminuiu a vantagem do Brasília caiu para cinco pontos. Mas no final do quarto o time paulista voltou a errar muito no ataque e o quarto terminou em 55x42 para o time candango.

Atrás do placar, o Rio claro foi para o tudo ou nada e conseguiu uma boa reação. Abriu 13x04 na parcial e assustou o time da casa, forçando o técnico Bruno Savignani a pedir tempo. No final do jogo a torcida assistiu a um filme de terror, onde nada deu certo para os jogadores do Brasília.

Restando 1’ e 25’’ a diferença era de apenas dois pontos. Com 37’’ restantes, Daniel Alemão empatou o jogo (66x66). No lance seguinte, Deryk Ramos tentou a bola de três pontos mas recebeu um toco. O time paulista trabalhou a bola e passou à frente, com cesta de Tatu. Restando 0.55 segundos para empatar o jogo, Fúlvio tentou o a ponte aérea com Cipolini, mas não deu certo e o jogo terminou com o incrível placar de 68x66 para os paulistas e 26x11 só no último quarto.

Os cestinhas da partida foram Gui Deodato, do Rio claro, e Guilherme Giovannoni, com 15 pontos cada.

O armador Deryk falou sobre a difícil derrota em casa. “Temos que levar essa partida como aprendizado. Eles tiveram mérito e resolveram no fim do jogo. Tomamos 26 pontos no último quarto e isso mostra desatenção na defesa e isso foi determinante”.

Giovannoni já pensa no próximo jogo contra o Minas. “Mais um jogo difícil, último jogo. Vamos pra ganhar e depender dos outros resultados. Temos que fazer a nossa parte.”

Já o técnico do Rio Claro, André Luiz Barbosa, falou do potencial da sua equipe. “Batendo o time do Brasília aqui o time mostrou que está preparado para os playoffs. Os jogadores deram a alma e fizeram um segundo tempo perfeito. O que fez o time conseguir o resultado hoje foi a mudança de atitude e concentração”, ressaltou o treinador.

Com a derrota, o time da capital está com aproveitamento de 66.7%, empatado com o Basquete Cearense na 4° colocação. O Rio Claro continua na 9° colocação, com aproveitamento de 46.4%.

A primeira fase do NBB se encaminha para o final. Este foi o último jogo do Rio Claro Basquete nesta fase e o penúltimo do Brasília. O próximo jogo do time candango é contra o Minas, na próxima terça-feira (29) fora de casa, às 20h.

Posts Em Destaque
Posts em breve
Fique ligado...
Posts Recentes
Arquivo
Procurar por tags
    • Grey Facebook Icon
    • Grey Twitter Icon
    • Grey YouTube Icon
    • Grey Instagram Icon

    © 2020 POR OR MARKETING

    SHN Qd. 01 Bl. A Ed. Le Quartier