Squash Brasileiro tem uma nova Campeã e um Campeão que não quer largar o osso

 

O 38º Campeonato Brasileiro de Squash contou com a presença 39 atletas profissionais, sendo 28 homens e 11 mulheres que abrilhantaram o público com belíssimas jogadas e rallys de tirar o fôlego durante os 6 dias de competições.

 

 Os jogos do circuito profissional e alguns jogos do circuito amador ocorreram na Cia Atlética de Campinas. No entanto a organização do campeonato ainda contou com o apoio da Sociedade Hípica de Campinas e a academia Tênis Clube Campinas para acomodar os 180 atletas que se inscreveram para participar do principal campeonato de squash do país.

 

No circuito profissional os duelos que mais levantaram o público foram os confrontos de quartas de finais entre Roni Conceição x Pedro Mometto, as semifinais entre Renata Furletti x Tatiana Borges, Kiki Silva x Diego Gobbi, Rafael Alarcon x Pedro Mometto e a final masculina e feminina que, apesar do domínio dos campeões, os atletas Diego Gobbi e Juliana Pereira deram muito trabalho com ataques rápidos e tentando acelerar o jogo, no entanto, no final da tarde foi o então 15 vezes campeão brasileiro, Rafael Alarcon, e a atleta Tatiana Borges, que conquistou o seu primeiro título brasileiro, que levantaram as taças da 38ª edição do brasileiro de squash.

 

Alarcon, que já tinha dito que os adversários não conheciam o sabor de ser Campeão Brasileiro logo após o jogo das quartas de finais, no fim da partida que lhe deu o 16º título nacional elogiou a atuação de Gobbi.

 

“O Diego é um excelente jogador, joga rápido e sabe se movimentar em quadra, mas pecou em forçar algumas jogadas que poderia ser melhor trabalhada, assim como fez no jogo contra o Kiki. Se ele trabalhar isso na cabeça, será complicado enfrentá-lo em quadra”.

 

Tatiana Borges também elogiou a adversária, mas em tom de brincadeira deixou claro que não irá deixar a taça sair mais das mãos dela.

 

“A Jú jogou muito e é sempre bom jogar contra ela, pela determinação e garra que ela tem em quadra, brigando sempre por cada bola”. Na hora de receber o troféu das mãos do vice-presidente da Confederação Brasileira de Squash, Tatiana soltou a sua vontade: “Pode colocar meu nome em todas as placas daqui para frente, pois não vou soltar mais a taça”.

 

Tatiana e Rafael venceram os jogos da final com o resultado de 3 games a 0, com parciais de 11/7 – 11/7 – 11/5, no confronto feminino e 11/7 – 11/9 – 11/4, no confronto masculino. Além da vitória, Tatiana Borges assumiu a liderança do ranking NSB Feminino.

Please reload

Posts Em Destaque

I'm busy working on my blog posts. Watch this space!

Please reload

Posts Recentes
Please reload

Arquivo
Please reload

Procurar por tags