Igor Mota chega ao Leões de Judá para a disputa do campeonato candango

30/3/2019

 (Foto: Victor Francisco/Salão Oval)

 

Uma semana após anunciar o novo quarterback para a temporada, o Leões de Judá apresentou mais um reforço de peso, desta vez para a defesa. É o linebacker Igor Mota do Cuiabá Arsenal e ex-Sada Cruzeiro. Igor atuou pela seleção brasileira no mundial de 2015 e foi o único atleta do time verde e amarelo eleito para a seleção da competição. Ele chega para disputar os jogos do campeonato candango disputado no primeiro semestre. No currículo, Igor tem três títulos brasileiros. Dois pelo Arsenal e um pelo Sada Cruzeiro.

 

Igor tem uma ligação muito forte com o Cuiabá Arsenal, time que ele foi um dos fundadores em 2006. Por isso convencer o atleta a atuar, mesmo que por um curto período de tempo, com a camisa do Leões de Judá não foi fácil segundo o presidente do time candango Adalberto Patrocínio. “A nossa ideia não foi tirar o Igor do Arsenal e sim trazer ele para disputar o campeonato candango e fazer com que ele conhecesse o Leões de Judá. Conversei muito com ele. Expliquei que era como um empréstimo e que ele não ia estar totalmente vinculado ao Leões e que ainda seria jogador do Arsenal”, explicou Adalberto, também conhecido como “Dadau”.

 

Na temporada de 2018 Igor atuou pelo Cuiabá Arsenal. O time cuiabano atravessa, desde o ano passado, um forte processo de reformulação e Igor, junto com o presidente Deneva e o treinador Thomas Kudyba, são os pilares da reconstrução deste gigante do futebol americano nacional. Mesmo que não atue pelo Arsenal no primeiro semestre, Igor continua presente no processo de renovação da equipe mato-grossense.

 

“A base foi montada de dentro para fora. A gestão e administrativo estão alinhados e agora essa organização está refletindo para dentro de campo. Minha relação com Arsenal não muda, não saí do time. Tenho o apoio de todos, dos jogadores, da comissão e dos gestores”, disse Igor.

 

Com o acordo para o primeiro semestre fechado, o Leões de Judá se fortalece como um dos candidatos ao título e levantar a Taça Cairo Santos é um trunfo que o Leões quer usar para convencer o atleta de 33 anos a atuar com a camisa preta e dourada durante a BFA também. No entanto Igor declarou: “estou fechado com Arsenal esse ano e envolvido na missão do time”. Mas Dadau deve tentar a permanência do atleta também para o campeonato nacional. “Posso dizer que temos interesse em grandes jogadores, não somente o Igor, mas em outros também”, disse o presidente.

 

Antes de estrear pelo do Leões de Judá, Igor elogiou o atual elenco do time brasiliense e o projeto que o presidente Adalberto “Dadau” está desenvolvendo há cerca de seis anos. “Aceitei o convite por ser um grande desafio. É sempre bom poder jogar em um time que se mostra sério em suas ações. Além disso, dividir o campo com meu amigo Augusto “Bus” será muito bom de novo, além dos outros grandes jogadores que estão no Leões.” Igor e Augusto defenderam juntos a camisa do Brasil Onças no mundial de 2015.

 

Apesar da mudança de equipe, Igor continuará morando em Cuiabá. Ele virá para Brasília em datas estratégicas para poder agregar jogos e treinos específicos em uma mesma viagem. “Iremos ajustar a logística para poder aproveitar o máximo cada ida minha, chegando alguns dias antes”, explicou o jogador.

 

Progressão

 

Levantar o título de campeão candango é de suma importância para o Leões e Igor Mota pode ser uma peça fundamental no objetivo traçado para o primeiro semestre. Os dois favoritos são o Tubarões do Cerrado e o Leões de Judá. Para o Leões o título pode se transformar em uma motivação extra para a disputa da BFA.

 

“O mais importante é ser campeão no primeiro semestre e depois disso o objetivo é ser campeão de conferência. Caso o título candango venha, os jogadores vão se sentir muito mais acreditados. É um trabalho de progressão mental. É importante que eles confiem que eles possam vencer não só o Tubarões, mas também o Arsenal, o Sorriso e podem ser campeões da conferência centro-oeste”, projetou Dadau.

 

Vencer o Tubarões numa possível final de campeonato regional também faz parte do processo de progressão. Nos últimos três confrontos o TdC levou a melhor sobre o Leões. Mas Dadau ressalta que a diferença entre os times vem diminuindo ao longo dos confrontos. No primeiro encontro entre os times, em 2017, o TdC venceu por 41 pontos de diferença. No segundo confronto a diferença continuou grande, mas diminuiu para 27 pontos já em 2018. Na semifinal da conferência do mesmo ano o TdC venceu em uma partida muito mais equilibrada, por 26 a 11.  

 

“Temos interesse não só em ganhar o título, mas confirmar todo o trabalho que está sendo desenvolvido nos últimos seis anos. Logico que vencer o Tubarões vai ser a confirmação de uma progressão. O Leões quer ter mais títulos que o Tubarões, um título que firma o Leões como um grande time”, finalizou Dadau fazendo referência ao número de títulos regionais que atualmente é um para cada time.

 

Please reload

Posts Em Destaque

I'm busy working on my blog posts. Watch this space!

Please reload

Posts Recentes
Please reload

Arquivo
Please reload