Jordan Moore desequilibra e Tubarões vence o Leões de Judá com folga


(Jordan Moore teve seis touchdowns na partida. Quatro de corrida e dois de passe. Foto: Igor Alessandro.) A partida entre Tubarões do Cerrado e Leões de Judá, no último dia 10, não foi como se esperava. A expectativa era de um confronto equilibrado, tendo em vista a última partida entre os dois times na final da Taça Cairo Santos. No entanto o Tubarões tinha uma nova arma no ataque, Jordan Moore. O quarterback anotou seis touchdowns (quatro corridos e dois lançados), liderou o Tubarões ao terceiro triunfo em três jogos e foi o destaque na vitória por 46x02.


Logo de cara Moore mostrou que mandaria no jogo. Os três primeiros td’s do jogo foram do norte americano. O primeiro em uma corrida curta, de 4 jardas. Sempre com muita agilidade e leitura da jogada, ele entrou novamente na endzone em outra corrida de aproximadamente 15 jardas.


Pelo Leões, o time de especialistas conseguiu bloquear a primeira tentativa de ponto extra. E no ponto extra seguinte, além de bloquear o linebacker Wagner Pittbull retornou para os únicos dois pontos do time no jogo.


No início do segundo período, Moore correu pela direita, contou com bons bloqueios e anotou mais seis pontos. Ainda antes do intervalo o Leões tentou buscar algumas jogadas mais dinâmicas, no entanto, num lançamento longo, o passe foi interceptado pelo defensive back Pedro Yoshida, que retornou 70 jardas até quebrar o plano de gol adversário.


No segundo tempo o Leões tentou equilibrar o jogo. A linha ofensiva conseguiu uma significativa melhora e permitiu que o ataque ficasse mais tempo em campo. Mas a defesa continuava a ter dificuldades e vivia um dilema, parar Moore ou defender os vários recebedores de excelência que o Tubarões tem no elenco.


Desta maneira o quarterback do TdC abusava da velocidade para driblar os adversários e conquistar jardas. Assim ele entrou na endzone pela quarta vez. Com a vantagem no placar, Moore distribuiu passes com maior frequência, especialmente para Sedrick Lima e Ewandson Nunes “B2”, que anotaram os dois últimos touchdowns do jogo.


Após o jogo, Jordan comemorou o sucesso que o ataque na partida e sonha alto com a temporada no TdC. “Nós fizemos o que tínhamos que fazer. Tivemos duas ótimas semanas de treino e nos preparamos para ser agressivos. O ataque marcou logo no primeiro drive e a defesa fez um trabalho excelente e nos possibilitou estar em campo e pontuar. Estamos melhorando a cada jogo e construindo nosso caminho até o título”, disse Moore.


O treinador do Tubarões, Fabrício Ataíde, falou sobre como ele busca o equilíbrio entre encaixar Jordan dentro do sistema de jogo do TdC e dar liberdade para que o QB possa fazer de forma autônoma suas big plays. “Até agora enfrentamos adversários mais fracos. Mas numa eventual fase nacional da competição as defesas têm muito mais responsabilidade e atenção às nossas atribuições. Estamos trabalhando com ele de uma forma que ele tenha autonomia para fazer as jogadas mas trabalhar dentro do sistema de jogo. Aqui nós construímos um time e ele chegou como quarterback, não foi o time que foi construído ao redor dele. Em todas as áreas do ataque temos estrelas. O Jordan é claramente um dos melhores atuando no Brasil, se não o melhor”, analisou Fabrício.


Após observar o adversário em duas oportunidades, o linebacker Eder Jason, que é um dos responsáveis pelo setor defensivo do Leões, fez planos para parar Jordan. Mas a equipe deslizou em erros e proporcionou oportunidades ao jogador do TdC. “Eu falei para a defesa que o Jordan era a arma deles. Montei o esquema tático para isso, mas erramos muitos detalhes. Quando errávamos, o Jordan fazia o que ele sabia fazer. Mas quando a nossa defesa acertava era “three and out”. O Jordan é um quarterback nato e levou o TdC nas costas hoje”, disse Jason.


Fizeram falta


Para o duelo o Leões de Judá estava desfalcado de dois jogadores fundamentais. O também quarterback norte americano Jamere Murphy e o linebacker Eder Jason. Jamere passou a semana anterior ao jogo nos Estados Unidos resolvendo problemas pessoais. No entanto houve problema no voo do atleta que estava programado para chegar no dia anterior ao jogo.


Já o linebacker Jason ainda se recupera de uma fratura no tornozelo. Embora ele tenha comandado a defesa na sideline, a previsão do atleta retornar aos gramados é apenas na temporada 2020. “A falta do Jamere fez muita diferença. Com ele o nosso ataque ficaria mais tempo em campo. O placar acabou sendo elástico por falta do nosso ataque. Com o Jamere em campo a gente poderia até perder, mas com certeza seria por uma diferença muito menor”, sentenciou Eder Jason.


A ausência de Jamere também foi sentida pelo lado do TdC, que esperava ter um grande desafio para a própria defesa. “A gente não encarou a ausência do Jamere como um fator positivo. Queríamos jogar contra um quarterback mais competitivo, e também fizemos um plano de jogo todo baseado nele. A gente não escolhe adversário. Fomos aplicando o plano de jogo no decorrer da partida, mas gostaríamos de ter aplicado o planejamento que a gente desenhou para o Jamere”, disse Fabrício.


Os times voltam a campo em três semanas. O Leões enfrentará o Predadores em Brasília em 31 de agosto. Já o Tubarões faz mais um duelo local contra o Brasília Templários no dia 1° de setembro. Horários e locais ainda não foram definidos.

Posts Em Destaque
Posts em breve
Fique ligado...
Posts Recentes
Arquivo
Procurar por tags
    • Grey Facebook Icon
    • Grey Twitter Icon
    • Grey YouTube Icon
    • Grey Instagram Icon

    © 2020 POR OR MARKETING

    SHN Qd. 01 Bl. A Ed. Le Quartier